CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

29 de out de 2012

PT E PSB TÊM MAIS PREFEITURAS E ELEITORES E O PMDB RECUA...


Por Daniel Bramatti, José Roberto de Toledo, Amanda Rossi, Diego Rabatoni e Vitor Baptista  

No balanço final da eleição de 2012, o PT e o PSB foram os partidos que mais ampliaram o número de prefeituras conquistadas e o contingente de eleitores a governar em relação a 2008. O PSD, em sua primeira disputa, obteve um lugar entre os maiores partidos, mas terá pouca influência nas cidades grandes.
O PMDB encolheu tanto em número de prefeituras quanto de eleitores. O PSDB elegeu menos prefeitos, mas praticamente manteve sua fatia do eleitorado. E o DEM manteve sua tendência de definhamento.
Principal vencedor da eleição, o PT conquistou prefeituras que, somadas, concentram 20% do eleitorado. Em 2008, as cidades petistas abrigavam 17% dos eleitores do País. Sem o triunfo em São Paulo, o partido teria até recuado no quesito eleitorado governado - sozinha, a capital paulista abriga pouco mais de 6% dos brasileiros com direito a voto.
Primeiros colocados no ranking do eleitorado, os petistas ficaram em terceiro no número de prefeitos eleitos, com 635. O fato revela que o PT ainda tem dificuldades para conquistar as pequenas cidades, seara na qual o PMDB é a legenda mais forte.
O PT elegeu quatro prefeitos de capitais neste ano, menos do que em 2008 (seis) e 2004 (nove), mas ampliou seu espaço no conjunto dos 83 municípios com mais de 200 mil eleitores, o chamado clube do 2.º turno. Nesse grupo, os petistas vão governar 30% do eleitorado - porcentual acima de sua média nacional.
Não se pode dizer que o PMDB teve um resultado ruim nesta eleição - afinal, manteve o primeiro lugar no ranking dos prefeitos eleitos, com 1.025, e só ficou atrás do PT no do eleitorado a governar (17%). Mas o partido se saiu pior do que há quatro anos.
O principal recuo dos peemedebistas ocorreu no clube do 2.º turno. Em 2008, no grupo das cidades com mais de 200 mil eleitores, a legenda venceu em municípios que abrigavam 26% do eleitorado nacional. Agora, sua participação vai cair para 14%.
Destaque no 1.º turno, com a conquista de duas capitais de grande peso político - Belo Horizonte e Recife -, o PSB chega ao final da disputa com saldo positivo sob todos os aspectos, principalmente no número de eleitores a governar.
O partido presidido pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos - já citado como possível candidato a presidente em 2014 -, deve governar cerca de 11% do eleitorado a partir da posse dos novos prefeitos, em 2013. É um salto em relação ao porcentual obtido em 2008: 6%. Em número de prefeitos, o PSB avançou de 310 para 440.
Em termos comparativos, o DEM terá neste ano o pior desempenho de sua história. Vai eleger prefeitos que comandarão 5% do eleitorado, menos da metade que obteve há quatro anos. Mas 2008 foi um ano atípico para o DEM - o partido conquistou na época a capital paulista, com a reeleição de Gilberto Kassab.
O mesmo Kassab desestruturou as bases municipais do DEM ao criar o PSD, no ano passado, e atrair centenas de políticos de seu antigo partido. A nova legenda elegeu 278 prefeitos e governará 6% do eleitorado. No grupo das 83 maiores cidades, porém, sua influência será menor: governará apenas 3% dos eleitores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte: O Estadão/Yahoo



9 de out de 2012

VEREADORES(AS) ELEITOS EM RECIFE-2012


 André Ferreira (PMDB) – 15.774
 Antônio Luiz Neto (PTB) – 13.833
 Priscila Krause (DEM) – 13-386
 Estefano Menudo (PSB) – 12.012
 Raul Jungmann (PPS) – 11.873
 Professor Jairo Brito (PT) – 11.233
 Maguari (PSB) – 10.806
 Missionária Michele Collins (PP) – 10-589
 Luiz Eustáquio (PT) – 9.928
 Irmã Aimée (PSB) – 9.916
 Felipe Francismar (PSB) – 9.788
 Jurandir Liberal (PT) – 9.113
 Carlos Gueiros (PTB) – 8.949
 Osmar Ricardo (PT) – 8.714
 Almir Fernando (PCdoB) – 8.522
 Marilia Arraes (PSB) – 8.481
 Isabella de Roldão (PDT) – 8.480
 Augusto Carreiras (PV) – 8.376
 Eduardo Marques (PTB) – 8.234
 Eriberto Rafael (PTC) – 7.952
 Alfredo Santana (PRB) – 7.854
 Vicente (PSB) – 7.823
 Dr. Rogério Lucca (PSL) – 7.597
 André Regis (PSDB) – 7.273
 Henrique Leite (PT) – 7.271
 Aline Mariano (PSDB) – 6.948
 Gilberto Alves (PTN) – 6.015
 Marco Aurélio Meu Amigo (PTC) – 5.999
 Jadeval de Lima (PTN) – 5.784
 Eurico Freire (PV) 5.733
 Rodrigo Vidal (PDT) – 5.441
 Edmar de Oliveira (PHS) – 5.352
 Marcos Di Bria (PTdoB) – 5.350
 Aderaldo Pinto (PRTB) – 5.203
 Eri (PTC) – 4.902
 Aerto Luna (PRP) – 4746
 Davi Muniz (PHS) – 4.739
 Wilton Brito (PHS) – 4.518
 Eduardo Chera (PTN) – 4.205

OBS: Vale salientar que dos 37 vereadores(as) eleitos, 24 (64,87%) pertencem à base da coligação PSB com outros partidos (Frente Popular) que elegeu Geraldo Júlio. Configura-se assim o que em rodas íntimas de amigos, colegas de trabalho e familiares a minha pessoa analisava: mesmo que Geraldo Júlio não vencesse, quem ganhasse para Prefeito em Recife teria que dialogar e negociar com a coligação e propostas da Frente Popular tendo em vista que a maior parte dos(as) vereadores(as) eleitos seria desta coligação.