CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

16 de jan de 2018

PARA REFLETIR...

Eu apenas digo o seguinte: 

- Sou à favor da Operação Lavajato, mas não da forma como foi conduzida tendo parado as grandes obras no Brasil e trazido milhões de desemprego, de modo que na cabeça de muitos que fazem parte daquilo que chamamos de "povo brasileiro" a leitura que muitos deles fazem é a seguinte: não foi a corrupção que parou o Brasil, mas sim a Lavajato, pois o povo tem visto e "sentido na pele" o pacote que recebeu de presente com a reforma trabalhista e está para receber com a reforma da previdência que aí está caso a mesma seja aprovada neste formato, pacote este que só foi possível implementar com a derrubada da Presidente Dilma deflagrada a partir da Lavajato.....É muito fácil e confortável pro pessoal que trabalha na Lavajato agir como agiram, pois continuam nos seus empregos e recebendo seus excelentes salários esteja o Brasil como estiver, etc....Como Alguém já disse, a melhor coisa a se fazer antes de tomar determinadas atitudes é se colocar no lugar dos outros... Eu sou à favor da reforma da previdência, mas não esta que aí está...
- As pessoas que trabalham na Lavajato pretenderam resolver a corrupção no Brasil (um problema que vem há mais 500 anos) de forma isolada (apenas com o aparato judicial e policial) e deu no que deu! Um problema como este não se resolve da noite para o dia e nem de forma isolada, mas sim construindo uma ação conjunta com toda a sociedade, preparando antecipadamente pessoas e empresas pra assumirem as obras e demais setores da sociedade, etc...E, tem mais detalhe que parece que a Lavajato não levou em consideração: Lula em sua trajetória política conseguiu se transformar num mito, e, sociologicamente, antropologicamente e politicamente falando um mito não morre jamais e quanto mais se bate no mito mais o mito cresce, portanto, se observa que até nisto quem trabalha na Lavajato parece demonstrar não ter considerado estas variáveis ao ponto de hoje o Brasil estar de fato à beira de uma guerra civil e de uma intervenção militar por um combate à corrupção que não levou em consideração estas variáveis...
- Em relação ao bolsa família sou à favor, mas não do jeito que se está aí (com varias pessoas recebendo sem ter necessidade, sem um programa de qualificação profissional, etc), e, sou à favor porque dente os vários motivos sabemos que muitas vezes a situação é tão grave (como esta seca no Nordeste que já vai em 7 anos) que tem que entrar com a assistência social sim.....Queria ver se quem defende a extinção do bolsa família e vivesse no interior do Nordeste com esta seca se realmente iria achar que o bolsa família deveria acabar...Como Alguém já disse, a melhor coisa a se fazer antes de tomar determinadas atitudes é se colocar no lugar dos outros...
- Em relação às privatizações digo o seguinte: Empresa publica não dá prejuízo, se desse prejuízo como os empresários nacionais e internacionais estariam querendo que privatizassem para comprar, tendo em vista que qual empresário de sã consciência e bom juízo que vai querer comprar algo que não dá lucro???? É só parar um pouco e pensar! Além do mais, um País que de fato preserva sua soberania jamais privatiza determinados setores estratégicos entregando-os completamente ao controle da iniciativa privada...
- Em relação às cotas sou á favor, mas que estas cotas sejam estabelecidas não pelo  critério cor, mas sim renda, pois tem muito afrodescendente que é classe média e até rico, pois estudei com alguns destes e conheço várias histórias de afrodescendentes assim: classe média e ricos mesmo desde o berço familiar e que sempre estudaram nas melhores escolas, as mesmas que os brancos ricos estudaram e estudam...E, além do mais acho injustiça se ter cotas para afrodescendentes e não ter para descendentes de indígenas, pois os indígenas são os primeiros habitantes do Brasil e também foram massacrados, escravizados, torturados, assassinados, etc...   
- Finalizando, acredito eu que sem o Parlamentarismo, sem o voto distrital, sem a reforma tributária, sem a reforma agrária e sem algumas outras coisas acho difícil o Brasil conseguir uma virada histórica, ganhe o candidato que ganhar pra Presidente em 2018...Se tivéssemos o Parlamentarismo, o voto distrital e mais algumas outras coisas provavelmente tudo indica que não estaríamos com este grau tão grande de corrupção, pois todos os Países que aparecem nos primeiros lugares de menor índice de corrupção consistem em sociedades regidas pelo parlamentarismo (seja ele com a figura do rei ou do presidente como Chefe de Estado), pois a estrutura é menos personalista e permite que a sociedade amadureça de tal modo que a democracia evolua de representativa para participativa, além do mais quando se tem uma crise política ela é logo resolvida, pois ocorre a dissolução do parlamento e convocação de novas eleições não sendo necessário o doloroso e traumático processo do impeachment e nem o País fica exposto à execração e desconfiança pública internacionais, etc ...
Carmem....

PARA REFLETIR...

https://youtu.be/zwArVdWoIJA



https://youtu.be/T8ACwe-oCj0



https://youtu.be/vpg9Ik_3ak0


https://youtu.be/CqSoOKn_6m0



https://youtu.be/yMfZcmSBt7U


X


https://youtu.be/Tn7yCn0c6QA



12 de jan de 2018

PARA REFLETIR...

Boa noite e, por favor, me respondam uma coisa: 

- As pessoas ricas porventura se importam com os conceitos e notas que outras pessoas possam dar a seu respeito?
- Quem tem os meios de produção, riquezas e é empresário porventura se importa com os conceitos e notas que seus funcionários ou pessoas alheias e estranhas venham a dar sobre a pessoa dele?
- Sabe, eu até fico a sorrir quando as "agências internacionais de risco" ficam dando nota pra País A, B, C como se os Países, as suas nações e soberanias fossem um bando de crianças numa escola sendo avaliadas pelos "Exemplares Professores da Economia e da Ética", etc...
- Cadê que essas agências colocam conceitos e notas ruins nos Países que possuem "Paraísos Fiscais" os quais vivem na luxúria à custa do dinheiro sujo protegido por contas secretas e obtido com coisas ilegais e erradas (narcotráfico, contrabando, desvios de dinheiro público, tráfico de seres humanos, redes de prostituição e pedofilia, etc) praticadas nos Países chamado por elas de "terceiro mundo e com economias de risco" onde segundo estas agências a "corrupção reina"? Porventura estes Países que abrigam os "Paraísos Fiscais"  devolvem este dinheiro ?
- Cadê que essas "agências de riscos" dizem que o dinheiro da corrupção é lavado e bastante bem vindo nos Países com "Paraísos Fiscais" onde muito de seu crescimento econômico, riqueza, luxuria e qualidade de vida é financiado por este dinheiro da corrupção? Se tem quem se corrompa é porque também tem quem corrompe pra se beneficiar e ladrão não é somente quem rouba, mas também quem compactua guardar o que foi roubado! É muita hipocrisia! 
- Então rebaixam a nota de Países como o Brasil, mas continuam também de olho nas suas riquezas, nas empresas públicas que dão muito lucro e que são doidos para tomarem posse com as privatizações, pressionam pela reforma trabalhista, da previdência, etc! 
- Já imaginaram o que seria das nações ricas de "primeiro mundo" sem os recursos naturais e grande mão-de-obra (força de trabalho) que em sua maioria se encontram nos chamados "Países corruptos de terceiro mundo"?
- Na minha terra (em Pernambuco) quando se vê hipocrisias  como estas se diz o seguinte: "criatura, vai arrumar algo de útil pra fazer e lembra-te que quando apontas o dedo indicador para outras pessoas tem três dedos teus apontando pra ti mesmo e um dedo apontando pro Céu que está vendo a tua hipocrisia"...
Bem, como a Constituição da República Federativa do Brasil tem como um dos princípios o "respeitar a autodeterminação e a soberania dos povos", acho que o Brasil deveria cada vez mais realmente mostrar que "quem tem telhado de vidro não  joga pedra no telhado dos outros", ter uma postura de fato mais autônoma, soberana, valorizar o que possui, investir com seus próprios recursos cada vez mais em ser independente cientificamente e tecnologicamente e seguir construindo sua própria História e modelo de civilização,  pois pelo que eu saiba o Brasil é uma das nações mais ricas do mundo, e é tão rica que tem muita gente de fora que é doida pra tomar posse de parte de seu território e faz mais de 500 anos que pessoas de fora e de dentro do Brasil roubam esta nação e ela ainda tem muitas riquezas e continua em pé! kkkk...
E, o pior é que ainda tem economista brasileiro, jornalistas e outras personalidades públicas que por falta de vergonha na cara e para atender aos interesses externos ficam dando crédito, alimentando, comentando e propagando essas notas e conceitos dessas "agências de riscos"! Eu hein, acorda Brasil!...

https://youtu.be/ChxXqHgcp58

30 de dez de 2017

O EMPREENDEDORISMO E O DINHEIRO SEM LIMITES ÉTICOS REALMENTE É UMA GRANDE AMEAÇA PARA AS CIVILIZAÇÕES...

Porque usam os jiadistas tantos Toyotas? Os EUA querem saber



Parada jiadista nas ruas de Raqqa, Síria. Não faltam Toyotas
REUTERS

Os Toyotas tornaram-se quase uma imagem de marca de grupos terroristas como o autodenominado Estado Islâmico (Daesh). Os Estados Unidos já contactaram a marca japonesa para tentar perceber como chegam às mãos dos jiadistas

O Governo dos Estados Unidos quer saber porque razão há tantos Toyotas nas mãos do autodenominado Estado Islâmico (Daesh) e já contactou a construtora japonesa para que ajude a determinar a origem dos carros que se veem nos vídeos jiadistas.
O pedido de informação foi efetuado por uma unidade especial do Departamento do Tesouro encarregue de investigar o financiamento ao terrorismo.
“Lamentavelmente, os Toyotas Land Cruiser e Hilux tornaram-se quase imagem de marca do Daesh”, disse à ABC Mark Wallace, ex-embaixador dos EUA na ONU e atual presidente do Counter Extremism Project, organização sem fins lucrativos que visa expôr o apoio financeiro às redes terroristas.
“O Daesh usa este tipo de veículos em ações de tipo militar e atividades terroristas. Em quase todos os vídeos, aparece uma frota de Toyotas e isso preocupa-nos muito.”

AO SERVIÇO DA PROPAGANDA JIADISTA

Muitos veículos da marca japonesa - a segunda maior construtora mundial, a seguir à Volkswagen - surgem, com frequência, em vídeos de propaganda jiadista filmados no Iraque, Síria e Líbia. Desejados pela sua fiabilidade em terrenos extremos, os Toyotas são também usados em ações de patrulha, equipados com armamento pesado e carregados com terroristas empunhando armas ou a bandeira negra do califado.
Quando o Daesh conquistou Raqqa e desfilhou, em parada, pelo centro daquela cidade síria, em meados do ano passado, mais de dois terços dos carros eram Toyotas. Havia também Mitsubishis, Hyundais e Isuzus.
“Nós descrevemos ao Departamento do Tesouro as nossas rotas de abastecimento no Médio Oriente bem como os nossos procedimentos para proteger a integridade desse fornecimento”, afirmou Ed Lewis, diretor de Política e Pública e de Comunicação da Toyota.
A marca, continuou, tem “uma política restrita no sentido de não vender veículos a potenciais compradores que possam usa-los ou modifica-los para fins terroristas ou atividades paramilitares”. Ed Lewis acrescentou que é impossível para a empresa seguir o rasto dos veículos que são roubados, comprados ou recomprados.

CENTENAS DE CARROS, NOVOS E USADOS

Em declarações à ABC, o embaixador iraquiano nos EUA, Lukman Faily, disse que, paralelamente à utilização de veículos usados, as autoridades de Bagdade acreditam que o Daesh adquiriu “centenas de novos” Toyotas nos últimos anos. “Temos feito esta pergunta aos nossos vizinhos. Como é possível que estes carros novos, estes 4x4, centenas deles... de onde é que eles vêm?”
A investigação das autoridades norte-americanas visa contribuir para estancar o fluxo de bens produzidos no Ocidente e que acabam nas fileiras jihadistas, através de redes de contrabando.
A 1 de abril de 2014, a Public Radio International noticiou que, quando o Departamento de Estados dos EUA decidiu apoiar os rebeldes do Exército Livre da Síria com “ajuda não-letal”, a lista de entregas incluía 43 camiões Toyota. Mais recentemente, um artigo publicado no jornal australiano “The Daily Telegraph” alertava para o desaparecimento de mais de 800 Toyotas em Sidney, entre 2014 e 2015.
Estatísticas da Toyota referem que as vendas de Hilux e de Land Cruisers no Iraque triplicaram entre 2011 e 2013 (de 6000 unidades para 18.000). Em 2014, caíram para 13.000. Na Síria, as vendas foram suspensas em 2012.
“Gastamos o nosso tempo a combater estes terroristas e por isso não conseguimos controlar a fronteira entre o Iraque e a Síria”, asmitiu o brigadeiro-general Saad Maan, porta-voz dos militares iraquianos.
“Não creio que a Toyota tente, intencionalmente, lucrar com isto”, conclui Mark Wallace, “mas estão avisados e deviam fazer mais”. No início do ano, a Counter Extremism Project escreveu diretamente à construtora instando-a a fazer mais para seguir o fluxo de veículos para o Daesh, dado que todos têm números de série, facilmente rastreáveis.

Fonte: http://expresso.sapo.pt/internacional/2015-10-07-Porque-usam-os-jiadistas-tantos-Toyotas--Os-EUA-querem-saber

Top 6 das armas mais usadas pelos terroristas do EI



O grupo terrorista Daesh, também conhecido como ISIL, ISIS ou Estado Islâmico, não conta apenas com a diversidade nacional de seus combatentes, vindos de mais de 80 países, mas também com uma grande coleção de armas e equipamentos militares fabricados em todo o mundo.
Os terroristas foram vistos usando armas não só de diferentes épocas, mas também de diferentes países. Não é incomum ver os jihadistas usando os antigos rifles soviéticos AK em conjunto com os fuzis de assalto M16 fabricados nos EUA, por exemplo. 
 A Sputnik compilou uma lista das armas de pequeno porte mais comumente usadas pelo Daesh. Confira:
Rifles Kalashnikov
O AK-47 é um dos modelos de fuzis de assalto mais usados no mundo, e o Oriente Médio não é uma exceção. Quando o Daesh tomou o controle sobre grandes porções da Síria, os terroristas encontraram muitos desses fuzis soviéticos e de fabricação russa em depósitos de armas pertencentes ao Exército Sírio. 

Rifles M16
Depois de derrotar milícias iraquianas e rebeldes sírios, o Daesh também herdou as armas norte-americanas que estavam em posse daqueles grupos. Além disso, alguns rebeldes sírios, apoiados e treinados previamente por militares dos EUA, acabaram se juntando às fileiras do grupo terrorista, enquanto muitos outros desertaram, deixando para trás, à disposição do Daesh, as armas que Washington havia lhes fornecido.
Heckler & Koch MP5
Com design alemão, a versátil submetralhadora de 9 mm fabricada desde a década de 1960 também figura na lista das armas mais populares do planeta. O modelo é considerado padrão nas principais unidades de operações especiais do mundo, sendo adotado por pelo menos 40 nações. Por meio de várias rotas ilegais, um grande número de submetralhadoras MP5 chegou à Síria e ao Iraque, onde foram rapidamente adicionadas ao arsenal do Daesh.
FN FAL
Popularmente conhecido no Brasil como “sete meia dois”, o fuzil de assalto ligeiro de 7,62mm produzido pela empresa belga Fabrique Nationale (FN) foi amplamente utilizado pela maioria dos países da OTAN durante a Guerra Fria, com a exceção dos EUA, a tal ponto que a arma foi apelidada de "o braço direito do Mundo Livre". Devido à sua popularidade e uso global, os terroristas do Daesh também não tiveram problemas para conseguir o FN FAL.
Metralhadora leve RPK
Desenvolvida por ninguém menos que Mikhail Kalashnikov no final da década de 1950, a RPK soviética de calibre 7,62 x 39 mm é uma das favoritas do Daesh para aumentar seu poder de fogo portátil. A metralhadora tem sido amplamente usada em campos de batalha em todo o Oriente Médio. O Daesh, particularmente, apreendeu uma grande quantidade delas nos depósitos de armas da Síria, durante suas campanhas de expansão no país.
Rifle Sniper Dragunov
O fuzil semiautomático para franco-atiradores rifle Dragunov é outra criação soviética popular entre os militantes do Daesh. Usado oficialmente em mais de 30 países, incluindo os vizinhos Irã e Iraque, é fácil imaginar como o velho rifle soviético acabou nas mãos dos terroristas islâmicos da região.
Rifle Sniper Dragunov
Fonte: https://br.sputniknews.com/mundo/201512143061198-top-6-armas-mais-usadas-daesh/




Os 10 principais “paraísos fiscais” do mundo

Estes lugares funcionam como verdadeiras caixas-pretas financeiras